Os médicos estão aprendendo mais sobre o que é essencial para uma gravidez saudável e a importância de se preocupar com isso desde quando as mulheres são bem jovens.

 
Os médicos estão se concentrando mais na saúde das meninas bem antes da idade fértil para se certificar de que quando chegar o tempo, elas terão a melhor possibilidade para uma gravidez saudável. Em maio, o Colégio Americano de Obstetras e Ginecologistas (ACOG) recomendou que as meninas começassem a visitar o ginecologista em torno de 13 anos para discutir a menstruação, as questões de sexualidade e doenças sexualmente transmissíveis, alimentação que podem afetar a saúde fértil ao longo do crescimento.

Enquanto isso, os pesquisadores estão aprendendo que os fatores que afetam a saúde do recém-nascido remontam pelo menos duas gerações. Além disso, o Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA publicou orientações para o cuidado de pré-concepção, salientando que as mulheres que cuidam de sua saúde física e emocional antes da concepção podem diminuir a probabilidade de gravidez de alto risco, partos prematuros (a principal causa de morte infantil), e defeitos de nascimento. As pré-mamães são convidadas a iniciar o cuidado de maternidade antes do feto ser mais vulnerável.

Mulheres de idade fértil que se informam bem com aconselhamento de médicos sobre as medidas de saúde mental e física, vai construir uma base de boa saúde quanda estiverem prontas para ter filhos. Os pais de meninas adolescentes podem obter aconselhamento mais cedo para ter certeza de que suas filhas sejam saudáveis, com boa alimentação e cuidados ginecológicos preventivos. Esta nova onda de assistência pré-natal promete promover uma geração de recém-nascidos saudáveis, com menos necessidades médicas ao longo das suas vidas. E que poderia ajudar a reduzir a carga emocional e financeira dessas futuras mamães.