Você sobreviveu aos longos nove meses de gravidez. Superou o medo do parto e do nascimento de seu primeiro bebê. Agora saindo da maternidade, para iniciar sua nova vida em casa com um recém nascido, enquanto se fecham as portas do hospital atrás de você, você se dá conta de que ainda tem muito o que aprender e então dá lugar à insegurança!

Se este é seu primeiro filho, este artigo possui recomendações de como ajudar seu bebê a arrotar, a dar banho, como estabelecer um vínculo com ele e outros aspectos relacionados com o cuidado do pequeno.

Pedir ajuda depois do parto

Talvez você prefira pedir a familiares e amigos que te dêem uma mão durante os dias após o parto Ainda no hospital, aproveite a experiência das pessoas ao seu redor. Muitos hospitais dispõem de profissionais em alimentação neonatal e aleitamento que podem te ajudar a amamentar ou dar a mamadeira corretamente. As enfermeiras também são excelentes fontes de informação para indicar a melhor maneira de segurar, transportar, fazer arrotar, trocar as fraldas e cuidar do seu bebê.

Em casa também poderá contratar uma babá com experiência em bebê, ou amigas e familiares que possam te ajudar. Provavelmente estarão ansiosos para te ajudar e algumas vezes você até poderá discordar de algumas coisas, não subestime sua experiência. Se você não desejar receber visitas, não se culpe em restringi-las.

Manipular o recém nascido

O recém nascido é muito frágil e precisa de cuidados para manipular:

  • Tenha cuidado com a sustentação da cabeça e pescoço: Quando segurá-lo em seus braços, sustente a cabeça e o pescoço ao pegá-lo no colo.
  • Tenha cuidado em não sacudir nunca o recém nascido, seja por brincadeira ou por bronca: Sacudir energicamente pode provocar uma hemorragia cerebral e até mesmo morte. Se desejar despertar o bebê, não o sacuda, faça-lhe cosquinhas delicadamente nos pés ou sopre seu rosto com suavidade.
  • Assegure-se de que o bebê está bem seguro quando o levar na cadeirinha, carrinho e outros acessórios. Tome cuidado para que as atividades não tenham movimentos bruscos para que ele não se sacuda ou corra o risco de cair.
  • Lembre-se que o recém nascido não está preparado para brincar: não tente jogá-lo pra cima, nem brincar de cavalinho ou coisas semelhantes.


Técnicas para favorecer um vínculo com seu bebê

 
Estabelecer um vínculo com seu bebê provavelmente será um dos aspectos mais prazerosos do cuidado do pequeno. A formação do vínculo é um conceito introduzido pelos pediatras Klaus e Kennel, no final dos anos setenta. Eles sugeriram que há um período sensível, compreendido nas primeiras horas e primeiros dias depois do nascimento, durante o qual é importante que os pais estabeleçam um vínculo com o bebê. O contato físico entre os pais e o bebê durante este período contribui para criar uma conexão emocional entre ambos. O apego resultante permite que os pais façam os sacrifícios necessários para poder ficarem a serviço do bebê.

O apego também favorece o desenvolvimento emocional do lactante que, por sua vez, repercurte o desenvolvimento em outros âmbitos, como o crescimento físico. Outra forma de conceber a formação do vínculo e apego conseqüente é como uma “conquista” do bebê. As crianças que não possuem pais ou outros adultos a quem desejam incondicionalmente têm mais probabilidades de ter problemas graves quando mais velhos.

Para estabelecer este vínculo tão importante com seu bebê, coloque o pequeno eu seu colo e acaricie-o suavemente de distintas formas. Se tanto você como seu companheiro pegarem-no nos braços e o acariciarem freqüentemente, o bebê rapidamente aprenderá a distinguir entre as carícias de cada um. Ambos deveriam também manter um contato “pele a pele” com o recém nascido, de modo que a pele dele entre em contato direto com a sua.

Os bebês, principalmente os prematuros e os que têm problemas clínicos, costumam responder positivamente à massagem infantil. As pesquisas médicas constataram que determinados tipos de massagens relaxam os bebês e contribuem para a formação do vínculo entre pais e filhos, ao mesmo tempo em que favorecem os processos digestivos e o crescimento dos bebês. Lembre-se que os bebês não são tão resistentes como os adultos, de modo que você deverá fazer a massagem com muita suavidade e delicadeza.

Geralmente, os bebês gostam muito de escutar sons de voz, por exemplo, que conversem, cochichem ou cantem. Provavelmente seu bebê também gostará ouvir música. Teste com vários tipos diferentes de música para identificar suas preferências. Brinquedos musicais são outra forma de estimular a audição dele. Se seu bebê parece nervoso e inquieto, tente cantar cantigas de ninar e canções infantis, ou recitar poemas em voz suave.

Alguns bebês são especialmente sensíveis ao contato, à luz e ao ruído. Estes bebês se irritam e choram com facilidade, dormem menos que o habitual e viram o rosto direcionando quando alguém lhe fala ou canta. Nestes casos, é conveniente manter baixos níveis de ruído e luz.

Envolver o bebê em forma de casulo é outra forma de tranqüilizá-lo. Quando você envolve o corpinho dele em uma manta, os braços ficam apegados ao corpo e as pernas bem unidas, Assim, além de deixá-lo aquecido, a pressão exercida o faz sentir-se seguro e cõmodo. Veja como fazer um casulo:

  • estenda a manta e dobre para dentro uma pequena porção de uma ponta
  • deite o bebê em cima com a cabeça sobre a dobra
  • dobre a ponta inferior da manta sobre os pés do bebê
  • envolva o corpo dele com os lados da manta, deixando apenas a cabeça e o pescoço descobertos

Fraldas – o que fazer e o que não fazer

Provavelmente antes de levar o bebê para casa, você já tinha decidido se iria usar fraldas de pano ou descartáveis. Independentemente do tipo de fraldas que use, terá que trocá-las aproximadamente 10 vezes ao dia, ou 70 por semana.

Antes de trocar as fraldas do bebê, tenha certeza de que ter por perto tudo o que você vai precisar, para não deixar o bebê sozinho no trocador. Você precisará de:

  • Uma fralda limpa
  • Fitas adesivas (se usar fraldas de pano)
  • Creme especial para as partes íntimas, se o bebê tiver irritações e assaduras
  • Uma vasilha com água morna
  • Bolinhas de algodão
  • Uma toalhinha limpa que seja suave, ou lenços umedecidos

Para limpar o bebê, use a água, as bolinhas de algodão e a toalhinha ou lenços e limpe com suavidade a região genital do bebê. Se o bebê é menino, tenha cuidado ao tirar as fraldas, pois o contato com o ar pode o fazer urinar. Se o bebê é menina, limpe-a do sentido de frente para trás para evitar possíveis infecções das vias urinárias. Se o bebê tiver alguma erupção na zona que entra em contato com a fralda (assaduras), passe creme na área afetada. Não se esqueça de sempre lavar as mãos depois de cada troca.

As assaduras são bastante comuns. É uma erupção de bolinhas vermelhas que costumam desaparecer com um banho quente, um pouco de creme e deixando o bebê sem fraldas por um pouco de tempo, para arejar a região afetada. Na maioria dos casos, esta erupção ocorre porque a pele do bebê é muito sensível e se irrita ao entrar em contato com a fralda úmida. Para prevenir e curar as assaduras siga estas dicas:

  • Troque freqüentemente as fraldas e não demore em trocar depois que estiver usada.
  • Depois de limpar a área com água e sabonete ou um lenço umedecido, aplique um creme ou pomada “de barreira” sobre a região afetada. As pomadas que contêm óxido de zinco são melhores porque formam uma barreira contra a umidade.
  • Se usar fraldas de pano, lave-as com detergentes neutros sem corantes e sem perfume.
  • Deixe o bebê completamente nu durante parte do dia para que a pele possa respirar.

Se ainda assim a assadura permanecer durante mais de 3 dias, consulte o pediatra, pois poderá estar sendo provocada por uma infecção por fungos e deverá ser tratada com medicamento específico.

O Banho: aspectos fundamentais

Você deverá lavar o bebê sem imergi-lo até que:

  • Caia o cordão umbilical (1-4 semanas)
  • Se cure o prepúcio, em caso de ser menino, e ele tenha sido circuncidado cirurgicamente (1-2 semanas)
  • Tenha o umbigo completamente curado (1-4 semanas)

Para o asseio do bebê você vai precisar ter à mão os seguintes itens:

  • Uma toalhinha suave e limpa
  • Sabonete ou shampoo para bebês neutro e sem perfume
  • Escova macia para estimular o couro cabeludo do bebê
  • Toalhas
  • Banheira para bebês cheia de água morna ““ não quente (comprove a temperatura com o cotovelo ou costas da mão).
  • Fralda limpa
  • Roupa limpa

Para limpar o bebê quando não der para lhe dar banho, escolha um cõmodo quente, uma superfície plana, como um trocador. Tire todas as roupas, comece limpando os olhos com uma toalhinha úmida somente com água. Comece por um olho e avance de dentro para fora. Utilize uma ponta limpa da toalha para limpar o outro olho. Então limpe o nariz e as orelhas. Em seguida molhe a toalhinha em água e um pouco de sabonete, lave o rosto suavemente e depois molhe e torça novamente a toalhinha. Então, faça um pouco de espuma derramando um pouco de shampoo na toalhinha com água limpa, ensaboe levemente a cabeça. Preste atenção especial embaixo das axilas, atrás das orelhas, pescoço e área genital. Depois de terminado, seque-o em antes de colocar fraldas limpas e vestir-lo.

Os primeiros banhos na banheira deverão ser suaves e breves. Uma vez que já tenha tirado as roupinhas do bebê, coloque-o na água imediatamente para que não sinta frio. Segure a cabeça com uma mão e introduza-o na banheira com a outra, começando pelos pés. Vá conversando gentilmente com ele, e continue baixando lentamente o resto do corpo até ele estiver completamente na banheira. Lave primeiro a cabeça. Seguidamente, com as pontas dos dedos ou uma escova de cabelo para bebês, massageie o couro cabeludo, incluindo a área que recobre a moleira. Quando colocar sabonete ou shampoo, coloque sua mão sobre a testa dele para evitar que escorra nos olhos. Depois do banho, envolva-o imediatamente em uma toalha dos pés à cabeça. As toalhas especiais para bebê possuem capuz, e são bem úteis para manter o bebê quentinho depois do banho.

Nunca deixe o bebê sozinho na banheira. Se você necessitar sair de perto, envolva-o em uma toalha, e leve-o com você.

Cuidados com prepúcio e cordão umbilical

Logo após a remoção do prepúcio, geralmente a glande (a ponta do pênis) do bebê é coberta com uma gaze com vaselina para evitar que a fralda grude na ferida. Quando trocar as fraldas dele, limpe suavemente a glande com água morna. Vermelhidão e irritação deverão sumir em poucos dias, porém se aumentar ou inflamar, ou formarem-se vesículas cheias de pus, é possível que a ferida tenha infeccionado, e você deverá procurar o pediatra.

O cuidado com o cordão umbilical do recém nascido também é muito importante. Para evitar possíveis infecções, alguns pediatras recomendam desinfetar a área com álcool ou outro anti-séptico em cada troca de fraldas até que ele seque e caia, o que geralmente leva de 10 dias a 3 semanas. A área do umbigo do bebê não deve ser submersa em água até então. Antes de cair, o cordão umbilical mudará de cor, de amarelo a marrom ou preto. É completamente normal. Se a área do umbigo tiver vermelhidão ou mal cheiro, procure o pediatra.

Amamentar e arrotar

A primeira decisão que deverá tomar sobre a alimentação é se você oferecerá o peito ou a mamadeira. Você provavelmente se surpreenderá com a freqüência com que os recém nascidos precisam alimentar-se. Em geral, recomenda alimentá-lo quando ele parecer sentir fome, o que se conhece por “alimentação por demanda”. Seu bebê indicará que está com fome chorando, levando os dedos à boca ou emitindo sons de chupar (mamar).
Um recém nascido pode necessitar alimentar-se a cada duas horas ou um pouco mais. Se você escolheu o aleitamento materno, deixe que o bebê mame em cada seio durante uns 10 a 15 minutos. Se optou pelo aleitamento artificial, é mais provável que ele mame entre 50 e 90 ml de leite de cada vez.

Alguns pais precisam acordar seus recém nascidos a cada poucas horas para ter certeza de que ele está se alimentando o suficiente. Fale com o pediatra se você precisa acordá-lo com freqüência ou se ele não mostra interesse pelo peito ou mamadeira.

Se você escolheu a mamadeira, será mais fácil reconhecer se ele está mamando o suficiente, porém no peito, você poderá ter dúvidas se a quantidade de leite foi suficiente. Se o bebê parece satisfeito, ele molha aproximadamente 6 fraldas e defeca várias vezes ao dia, dorme bem e ganha peso com regularidade, é provável que está mamando o suficiente. Converse com o pediatra se tiver alguma dúvida sobre o crescimento ou horários de amamentação do bebê.

Os bebês normalmente tragam ar junto com o leite, o que pode provocar inquietude. Para evitar isso, ajude-o a arrotar. No caso da mamadeira, coloque-o para arrotar a cada vez que tomar de 50 a 90 ml de leite. Se mamar no peito, coloque-o para arrotar a cada vez que trocar de mama. Para isso pode usar qualquer um dos procedimentos:

  • Coloque o bebê de pé apoiado no seu corpo com a cabeça sobre seu ombro. Sustente as costas e cabeça com uma mão e dê tapinhas bem suaves nas costas com a outra mão.
  • Sente o bebê em seu colo. Sustente o peito e cabeça com uma mão e de tapinhas suaves nas costas com a outra.
  • Coloque o bebê de barriga para baixo em suas pernas. Apóie a cabeça em um de seus braços e utilize a mão para dar tapinhas nas costas.

Se o bebê não arrotar após alguns minutos, termine a mamada. Depois, trate de fazê-lo arrotar de novo e o mantenha em posição erguida durante 10 a 15 minutos para evitar que regurgite leite.

O sono: aspectos fundamentais

Como pais de primeira viagem, é possível que se assuste que seu bebê que parece precisar de você a cada minuto, passe a dormir 16 horas ou mais por dia. Em geral, recém nascidos dormem durante períodos de 3 a 4 horas. Não espere que seu recém nascido durma a noite toda, porque seu sistema digestivo é tão pequeno que necessita alimentar-se freqüentemente, e você deverá despertá-lo depois de 5 horas sem comer.


Por volta de 90% dos bebês dormem durante toda a noite (entre 6 e 8 horas seguidas) a partir dos 3 meses de idade. Porém se ainda não acontecer isso, não se preocupe. Assim como os adultos, cada bebê estabelece seu próprio padrão e ciclo de sono. Se seu bebê está ganhando peso com normalidade e tem aparência saudável, não se preocupe se aos 3 meses ele ainda não dormir toda a noite.

É importante que você deite o bebê de barriga para cima para dormir, a fim de reduzir o risco de Síndrome Infantil da Morte Súbita. Também deverá retirar qualquer objeto fofo ou almofadado, bichinhos de pelúcia, edredons, travesseiros do berço do bebê. Ao deitá-lo para dormir, também verifique a posição da cabeça, alterando o lado direito e esquerdo a cada noite, para que não se achate um lado da cabeça.

Depois de poucas semanas você já terá estabelecido sua própria rotina e cuidará dele como uma verdadeira profissional. Se tiver muitas dúvidas, fale com seu pediatra.