Uma dieta para melhorar a fertilidade

não tem espaço para cafeina, especialmente se você tem elevação de estrogênio ou tem tendência a abortos recorrentes. Realmente, uma boa dieta para quem está tentando engravidar e manter a gestação deve eliminar a cafeína totalmente, devendo conter muito antioxidantes, fibras, vegetais de folhas escuras, frutas e grãos.

Tudo isso ajuda a manter seus hormônios regulados e seu corpo na melhor forma para a gestação. Se alimentar com alimentos orgânicos ajuda seu corpo a se livrar das toxinas e passar a ter base nutricional para alimentar seu bebê.

O próximo passo é parar com o café e também com toda fonte de cafeína, como refrigerantes, chocolate e chá. Todos esses alimentos influenciam na sua fertilidade e numa eventual gravidez.

A relação entre o café e o aumento de estrogênio

Diversos estudos já demonstraram que o consumo de cafeína tem ligação com altos níveis de estrogênio nas mulheres pré-menopausa. Isso prejudica a fertilidade pois o excesso de estrogênio pode inibir a ovulação. Com altos níveis deste hormônio, o corpo da mulher não consegue ter um ciclo menstrual regulado e equilibrado.

Enquanto a maioria dos estudos mostram que uma pequena quantidade de cafeína não prejudica o corpo e a fertilidade, não existe uma linha clara sobre a quantidade individual de cada mulher. Há evidências suficientes de que mulheres que consomem de 4 ou 5 copos por dia de café tem 70% mais estrogênio no corpo do que as que não consomem.

A coisa mais segura para as gestantes e mulheres que querem engravidar é eliminar completamente a cafeína de sua dieta, seu bebê agradecerá por isso.

Risco de aborto

Evitar a cafeína antes de engravidar torna sua gravidez muito mais saudável. Você irá se proteger mais de riscos de gravidez durante o primeiro trimestre.

Estudos da Faculdade Americana de Obstetras e Ginecologistas estimam que cerca de 10 a 25% das gestações conhecidas terminam em aborto. Os médicos costumam chamá-los de aborto espontâneo devido à expulsão do feto antes das 20 semanas de gravidez, quando ainda não é possível sobreviver fora do útero.

Existe uma conexão entre cafeína e aborto. A taxa de mulheres que consomem mais do que 200mg de cafeína abortam duas vezes mais do que as que não consomem, de acordo com um estudo de Kaiser Permanente. O risco é real, pois a cafeína na corrente sanguínea da mãe é passada para o filho.

Além disso, a cafeína é estimulante e diurética, o que pode restringir o fluxo sanguíneo e causar desidratação nas mulheres grávidas, prejudicando o desenvolvimento do bebê.

Uma outra razão menos científica é escutar seu corpo e dar o descanso merecido ao invés de tomar um duplo expresso para aguentar o sono.

Quando você está grávida ou tentando engravidar, é hora de prestar atenção ao seu corpo e conectar-se com suas necessidades de nutrição e manutenção que com a correria e a alimentação costumeira não prestamos.

Alternativas saudáveis

Existem várias opções saudáveis. A mais óbvia é a velha amiga água. Ela mantém funcionando a maioria das funções de nosso corpo.

A água é ótima, mas você precisa de mais um empurrãozinho durante a gravidez e as tentativas. Sucos, leite e vitaminas são a melhor opção, mas vá com calma no açúcar ok?