A má alimentação pode causar infertilidade

A hipoglicemia reacional ou reativa está atingindo proporções epidêmicas, nos países onde são exagerados o consumo de açúcar, farinha branca e alimentos processados.

Veja a alimentação recomendada para controlar a glicemia.

O carboidrato refinado quando ingerido passa rapidamente para o duodeno e estimula a produção de insulina pelo Pâncreas. Sabe-se que a cafeína também estimula a produção de insulina e é prejudicial nesta situação.

No paciente com hipoglicemia reacional, esta produção de insulina é exagerada (hiperinsulinismo), e assim duas a cinco horas depois provoca hipoglicemia. É comum encontrar história de diabetes familiar.

As manifestações clínicas da hipoglicemia reacional se manifestam em crise, particularmente em períodos prolongados de jejum ou desencadeadas pela ingestão de carboidratos refinados e cafeína (acima de 250 mg/dia).

Manifestações gerais:

  • Vontade exagerada de comer doces ou carboidratos refinados
  • Tontura, zonzeira, vertigem
  • Sensação de calor no corpo
  • Suores noturnos
  • Fraqueza, cansaço
  • Falta de energia, fadiga
  • Acordar com dor de cabeça
  • Dor de cabeça quando com fome
  • Enxaqueca
  • Infecções de Repetição (ites em geral, cândida, micoses (fungos), herpes, acne)
  • Taquicardia (angina pectóris e arritmias)
  • Tremores
  • Edema recorrente
  • Obesidade
  • Fome exagerada ou diminuição do apetite
  • Indigestão crônica
  • Visão fora de foco, quando em crise
  • Síndrome do ovário policístico (e consequentemente disfunções menstruais e infertilidade)
  • Diabetes gestacional
  • Urticária
  • Síndrome do cólon irritável
  • Fibromialgia
  • Pré-Eclâmpsia
  • Ansiedade, apreensão
  • Irritabilidade, pavio curto
  • Inquietação impaciência
  • Labilidade emocional
  • TPM
  • Confusão mental
  • Diminuição da memória em crise
  • Diminuição da concentração em crise
  • Sonolência, atordoamento
  • Sono irresistível que vem de repente e fora de hora
  • Desmaio
  • Depressão ou ansiedade pouco responsivos a medicamentos ou a psiquiatria
  • Síndrome do pânico
  • Labirintite
  • Câimbra noturna nas pernas e pés
  • Dores nas pernas
  • Formigamento / adormecimento das mãos ou pés
  • Dores Musculares
  • Dor lombar

Veja a relação do açúcar e colesterol, em pesquisa recente.

Para evitar a hipoglicemia reacional ou funcional, é necessário manter o controle da glicemia: evitar o aumento exagerado de glicose no sangue e prevenir a elevação da produção de insulina.
Recomendações para controle da glicemia

Antes de tudo, é necessário acompanhamento de médico e nutricionista, mas a base das recomendações são estas:

  • Fazer refeições pequenas e freqüentes.
  • Alimentar-se a cada 3 horas (cerca de 3 refeições principais, e 3 refeições básicas por dia).
  • Praticar exercícios físicos regularmente.
  • Realizar as refeições em ambientes calmos e com pessoas agradáveis.
  • Mastigar devagar.
  • Respeitar os horários das refeições. Nunca ficar mais do que 4 horas sem alimentar-se.
  • Manter uma atividade física regular.
  • Sempre que possível, pratique relaxamento e mantenha-se afastado de fontes de stress.

Inicialmente você deverá tomar consciência que biscoitos, bolos, doces e tudo o que as nossas mães chamavam de porcarias deverão ser consumidos o menos possível. Para se alimentar e fazer lanches tenha uma alimentação mais natural possível incluindo frutas e verduras.

Compre sucralose e substitua o açúcar sem perceber diferença no gosto!

    • Evitar doces: balas, chocolates, gomas, bombons, leite condensado, tortas, cremes, mousses, pudins, docinhos, etc.
    • Restringir o consumo de refrigerante a ocasiões especiais, e a quantidades menores do que de costume. Evitar refrigerantes a base de cola e guaraná, mesmo os light e diet.
    • O arroz pode ser substituído por massas tipo Grano Duro, polenta, mandioca, ou batata. Procura não misturar um com o outro.
    • Preferir os pães com fibras light (centeio, linho, linhaça, aveia, grãos). Quando consumir branco (sem fibras), usar uma mistura do tipo margarina light, requeijão light, queijo ou presunto magro e retire parte do miolo.

  • Quando sentir vontade de comer geléia ou doces do tipo goiabada, prefira os doces e geléias diet (sem açúcar) e misture com queijo branco.
  • Os alimentos devem ser cozidos pelo mínimo de tempo possível.
  • Evitar os alimentos triturados, amassados, muito processados. Preferir os menos cozidos os processados, preservando assim nutrientes e fibras.
  • Sucos de laranja, manga e uva: tomar no final das refeições, 1 copo pequeno (150ml).
  • Prefira os iogurtes light e as frutas frescas ou secas nos lanches isolados (manhã, tarde ou antes de dormir)
  • Evitar o uso de açúcar no leite, sucos, chás… Preferir sucralose ou stévia como adoçante.
  • Acrescentar nozes, castanhas, avelãs ou amêndoas (1 colher de sopa) ã s saladas de frutas ou iogurtes.
  • Preferir as frutas menos maduras, pois quanto mais maduras, mais concentram frutose (açúcar das frutas).
  • Quando for a festas, preferir os salgados assados. Deixe os doces para o final. Escolher o seu predileto e ingerir com moderação. Não consumir bebidas alcoólicas ou refrigerantes se ingerir algum doce.
  • Eliminar bebidas alcoólicas.
  • Acrescentar pitadas de fibra de aveia, gérmen de trigo e farelo de trigo, levedo de cerveja, gergelim ou farinha de linhaça no iogurte, frutas, sopas, caldo de feijão, cremes, mingaus, leite, saladas de frutas.
  • Não esquecer: Beber água nos intervalos das refeições. No trabalho, na escola, em casa, nos passeios. Pelo menos 7 copos por dia = 3 copos de manhã, 3 copos ã  tarde e 1 copo ã Â  noite.
  • Evitar refrigerantes e alimentos que contenham cafeína: refrigerante a base de cola, café, chá, chocolate e chimarrão.

Aumente o consumo de:

  • água: No mínimo 2 goles a cada 1/2 hora. Necessitamos de uma “descarga de toxinas” frequentemente.
  • Frutas: Maçã, banana, kiwi, laranja, mamão, morango, pêra, pêssego, nectarina, melão, abacaxi, abacate, damascos secos. Alternar 3 tipos por dia.
  • Vegetais crus: Alface, aipo, agrião, salsa, rúcula, broto de alfafa, almeirão, repolho, espinafre, couve, acelga, tomate, cebola, cenoura, pepino, rabanete. Alternar 3 tipos por dia.
  • Vegetais cozidos: Chuchu, vagem, espinafre, abobrinha, couve, repolho, cenoura, beterraba, moranga, abóbora, berinjela, couve de Bruxelas, couve-flor, brócolis. Alternar 2 tipos por dia.
  • Alimentos ricos em fibras integrais: Arroz, pão e macarrão integrais, granola sem açúcar, gérmen e farelo de trigo, aveia, cereais matinais sem açúcar. Acrescentar as fibras aos iogurtes, saladas de frutas, cremes, caldos, sopas e feijão.
  • Grãos e sementes: nozes, castanhas, amêndoas, amendoim, gergelim, linhaça. Acrescentar às saladas de frutas, saladas cruas, iogurtes, recheios de torta salgadas, molhos ou sanduíches.
  • Soja: leite, queijo (Tofu), pasta (missõ), soja cozida em ensopados ou saladas, proteína texturizada (carne de soja).
  • NOTA: Se você está tentando engravidar, evite soja e derivados, pois a soja contém estrogênio e pode atrapalhar a fertilidade.

Aprenda sobre as causas da hipoglicemia